Estética

Conheça as leis da ANVISA que regulamentam salões e clinicas de estética

Publicado por juxignacio em 12/dez/2014 - Sem Comentários

Os salões de beleza, clínicas de estética e spas urbanos estão se multiplicando pelo país. Segundo a Associação Nacional do Comércio de Artigos de Higiene Pessoal e Beleza (Anabel), nos últimos cinco anos o número de salões cresceu 78% (2005-2010). O aumento deve-se principalmente à formalização de empreendedores individuais.
Em todo o país já são cerca de 1,5 milhão de empreendedores formalizados. Deste total, os cabeleireiros ocupam o 2º lugar na lista das principais ocupações, com 7,6% do total de registros – percentual inferior apenas ao de empreendedores ligados ao comércio de vestuário e acessórios (10,5%).
 
Licença de funcionamento junto à Vigilância Sanitária do município, estrutura, equipamentos adequados, biossegurança (da esterilização até a utilização de equipamentos de segurança), vacinação de funcionários, são requisitos mínimos para o funcionamento de um pequeno salão de beleza no Brasil.
A diretora técnica de Serviços de Saúde do Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo, Mônica Grau, proferiu uma palestra para proprietários de pequenos salões no estande do Sebrae, na Beauty Fair 2011, a maior feira de cosméticos e beleza da América Latina, que termina hoje (13). Segundo ela, os proprietários de salões precisam ficar atentos a pelo menos 10 leis da Vigilância Sanitária que regulamentam o setor.

“É importante que o proprietário informe-se quais são essas leis e adequar-se o mais rápido possível. As leis estão no site da Anvisa e da Vigilância Sanitária do município”. A diretora técnica explica que a maioria das não conformidades referem-se a utilização de produtos sem registro da Anvisa. “Todo o tipo de produto, desde uma lixa de unha até um xampu ou um creme precisam ter registro ou cadastro”. As multas podem variar de R$ 500 a R$ 500 mil, dependendo da reincidência e da intensidade do risco.

 
Dentro da lei
Quem quiser estar dentro da lei precisa ficar atento ao que é proibido dentro de um salão de beleza, como: utilização de formol, máquinas de bronzeamento artificial e técnicas invasivas como botox, mesoterapia, entre outros. “Quem tiver câmaras de bronzeamento artificial deve desativá-las imediatamente. A venda pode ser feita para serviços de saúde, que utilizam o aparelho para tratamento de pele”.
 
As manicures devem utilizar autoclaves ou estufas, nunca fornos ultravioletas. Além disso, devem possuir, no mínimo, seis kits (alicates, palitos, empurradores de unha) esterilizados. Em caso de depiladoras, a cera precisa ser registrada na Anvisa e nunca deve ser reutilizada.
 
Para visualizar os produtos de esterelização na Casa do Esteticista CLIQUE AQUI
 
 “A reutilização de qualquer produto pode ser enquadrada em crime hediondo, onde não há possibilidade de fiança”, alerta a diretora. Escovas e pentes devem ser limpos para cada um dos clientes. Mônica também adverte que qualquer cliente pode denunciar o salão na Vigilância Sanitária. “É preciso ficar atento porque as denúncias são imediatamente verificadas”.
 
 

Toalhas_Descartaveis-250x250

Para visualizar os produtos descartáveis na Casa do Esteticista CLIQUE AQUI

 
  
Serviço
Anvisa – www.anvisa.gov.br

Vigilância Sanitária de São Paulo – www.cvs.saude.sp.gov.br
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7852/ 2107- 9110/ 3243-7851/ 9977-9529
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800www.agenciasebrae.com.br

www.twitter.com/sebrae
www.facebook.com/sebrae
 
Casa do Esteticista – A melhor maneira de comprar pela Internet !!!
 
Loja Centro
Rua Armando Sales Oliveira, nº 7 – Centro – RJ
(em frente à Rua da Alfândega, nº 165 / em frente ao metrô da Uruguaiana, saída Alfândega)
Tels: (21) 2222-1819    / Televendas (21) 3852-7640     
 
Loja Barra da Tijuca
Avenida das Américas, 3.665 – 2º piso Lj 204 – Barra da Tijuca – RJ
(Shopping Barra Square Expansão)
Tels:(21) 2499-1143

0 Comentários

Deixe o seu comentário!